ST 06 - Patrimônio, culturas, identidades e relações de poder

 

Prof. Dr. Alessander Kerber (UFRGS) e Profa. Dra. Cíntia Rodrigues (FURB)

Propomos dar continuidade aos debates realizados nos simpósios temáticos que coordenamos no I e no II Seminário Nacional História e Patrimônio Cultural, enfocando agora as relações de poder, disputas e lutas por direitos que influenciaram os usos do patrimônio cultural para representar as identidades de grupos sociais (sejam essas identidades étnicas, populares, locais, regionais, de gênero, entre outras). Como explica o antropólogo espanhol Llorenç Prats, o caráter simbólico do patrimônio e sua capacidade de representar identidades explicam os interesses, as escolhas, as disputas e a mobilização de recursos para sua preservação dos bens culturais. As identidades são discursos construídos sobre os grupos e estabelecem quem faz e quem não faz parte, hierarquias, expectativas em relação às suas práticas sociais, enfim, relações de poder. Propomos agregar investigações que discutam essas relações de poder que influenciam a construção de identidades através do patrimônio, que discutam os interesses dos agentes envolvidos (sejam lideranças de grupos sociais, poder público, empresas privadas ou outros). Entendemos que essas relações de poder presentes na construção de narrativas sobre o patrimônio e sobre sua relação com as identidades podem se manifestar nas diversas práticas ligadas ao patrimônio: nas investigações sobre a história dos grupos sociais e de seus patrimônios, na elaboração de dossiês, nas diversas formas de publicação ou divulgação do patrimônio, nas ações de educação patrimonial, na elaboração de exposições, na criação de roteiros de visitação, entre outras.

 

CRONOGRAMA DE APRESENTAÇÕES DE TRABALHO

  • Dia 05/10 (Terça-feira)

​​

14-18h 

A musealização de Carlos Gardel

Alessander Mario Kerber

 

Os desafios para a (re)criação da Feira Hippie de Belo Horizonte no contexto pandêmico: a tentativa de (re)invenção e de patrimonialização deste bem cultural

Ana Carolina Pereira Halberstadt

 

Catolicismo e protestantismo em Dourados/MS: o patrimônio cultural religioso e as relações de poder

Camila de Brito Quadros.

 

Significados e silenciamentos nos processos estaduais de patrimonialização da cachaça

Camila Moraes Marques

 

Notas sobre a história da educação de Blumenau: o Jonal da Associação de Professores e Sociedades Escolares de Santa Catharina

Cíntia Régia Rodrigues; Valéria Contrucci de Oliveira Mailer; Nestor Alberto Freese

Resgate da memória e identidade local em Conceição da Ibitipoca/MG

Danielle Aparecida Arruda

  • Dia 06/10 (Quarta-feira)

​​

14-18h 

 

Italianidade e turismo étnico: a construção da paisagem em Flores da Cunha (RS)

Deiner Lucian Barili

 

Anita Garibaldi: 200 anos e suas memórias

Fábio Andreas Richter

 

Patrimônio Cultural no Cariri da Paraíba: contribuições para inventário de bens culturais de Barra de São Miguel

João Paulo França

 

Patrimônio cultural, grupos sociais e relações de poder na Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio em Barbalha, Ceará

José Edvar

O funk enquanto manifestação artística e cultural de valor ao nosso patrimônio

Marcos Paulo Moraes Oliveira

 

A religiosidade dos imigrantes japoneses em Bauru: do culto aos antepassados às Novas Religiões Japonesas

Rosemeire Pereira D ́Àvila